Mérito, Penumbra, Dissolução e Brio

 em Autismo, Paternidade Afetiva

Faz um tempo que ela escreveu essas palavras: mérito, penumbra, dissolução e brio. Foi quando completamos um ano do lançamento do livro. Percebi que ela estava feliz.

Seu sorriso não se esconde e tão pouco se intimida; e o brilho nos olhos a acompanha de forma intensa. Então sugeri, para entender melhor seus sentimentos, que escrevesse uma palavra que representasse o que estava pensando e ela escreveu: mérito. Na sequência, saiu andando e ainda sorridente.

Achando graça da palavra escolhida e tentando entender mais os seus pensamentos, pedi que ela escrevesse mais e ela deu esta sequência: penumbra, dissolução e brio.

Achei incrível e agora penso que é vez de eu dizer o que se passou em minha cabeça ao ler estas palavras nesta exata sequência.

É fato que Marina se sentiu muito feliz com esta história do livro desde o começo, mas, por algumas vezes, teve dúvida, medo (talvez), incompreensão, receio do que realmente estava ocorrendo, falta de clareza com os possíveis caminhos que iriam se seguir (e que ainda estão se abrindo). Houve uma “penumbra” (Substantivo feminino. Ponto de transição de luz para sombra.), mas penso que o caminhar e a repercussão das atitudes, mesmo que intuitivas e nem sempre conscientes, trouxeram uma “dissolução” (Substantivo feminino. Ato de dissolver(-se)). É preciso caminhar para encontrar o caminho. E quando olhamos para trás, sentimos um certo “brio” (Substantivo masculino. Sentimento de honra, dignidade, valor; amor-próprio).

Talvez todo o caminhar passe por essas etapas e, durante a penumbra, não podemos deixar que o medo nos interrompa. Seguimos o caminho até haver dissoluções, encontrar soluções.

O que Marina mais faz é ler. Lê livros, cardápios, livros, revistas, livros, placas, livros, caixa de remédios, livros, embalagens, livros, letras de música… E sempre em busca de novas palavras. 

Muitas vezes nos pergunta o significado de alguma que encontra, pois, certas palavras chamam sua atenção por achar beleza em sua sonoridade ou grafia (confesso que também sou apaixonado por algumas palavras devido à sua forma).

Esta busca por palavras fez com que ela tivesse, hoje, um vocabulário enorme, que até desconhecemos (rs). Muitas vezes nos surpreende respondendo a certas perguntas com palavras mais “eruditas”.

Uma vez Larissa, brincando com Marina, pediu que ela escrevesse uma palavra que ela considera bonita com a letra “C” e ela escreveu: cerne. 

Em outra situação:

  • Marina, cuidado com os movimentos. Quase derrubou o vaso de flores – minha esposa disse.
  • Isso foi um equívoco. – Marina respondeu (escrevendo).

As palavras abriram um lindo caminho para sua comunicação, imaginário, raciocínio.

Nosso raciocínio se completa com a linguagem e Marina tem ajudado muito a somar e a construir o meu, da Larissa, do Gael… Sempre influenciamos de alguma forma quem está à nossa volta.

Criamos algumas brincadeiras envolvendo palavras. Brincamos juntos e vamos adaptando sempre.

  • Parece a Aurora Boreal – disse Gael, de apenas dois anos, após ver um pôr do sol colorido em um dia chuvoso.

Não é algo comum no vocabulário de uma criança desta idade que mora em uma cidade do interior do Brasil. Não faz parte do nosso cotidiano, mas faz parte do dele conviver com Marina, que convive com um mundo infinito de palavras, possibilidades e crescimento.

Segue a rima, Marina. 🙂

Quer ler outros posts do nosso blog, acesse: https://www.ograndedesafiodaspequenascoisas.com/blog

Postagens Recentes
Mostrando 3 comentários
  • Erica Ybarra Tannuri de Godoy
    Responder

    Grandes ensinamentos, uma família linda aberta a enxergar outras formas de se ver, conviver e viver, guiados por um ser, que penso eu, está a nossa frente, mostrando diversas possibilidades. Parabéns pra vocês, Lucas e Larissa, que não ficaram na mesmice de nossa sociedade. Enxergaram além. Gratidão, Marina e Gael. Deus os abençoe ainda mais! E por favor, continuem nos ensinando. É muito bom.

  • Lorena Franco
    Responder

    Fascinante! 💕

  • AffiliateLabz
    Responder

    Great content! Super high-quality! Keep it up! 🙂

Deixe um Comentário

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt
0
Terapia Ocupacional TEAo-caminho-se-faz-na-caminhada